quarta-feira, 29 de setembro de 2010

Exposição ¨Dona Vida¨




¨Sou como você me vê.
Posso ser leve como uma brisa ou forte como uma ventania,
Depende de quando e como você me vê passar...¨

(Clarice lispector)





¨Tengo una casa¨ (detalle) ( aprox 103 cm x 50 cm )


Detalle de la pollera de pieza: ¨Tengo una casa¨











¨Mujer Hongo ¨( serie ), pieza entera y detalles










¨Mujer- Hongo ¨( ¨Mulher- cogumelo¨)- serie limitada 3/5 ( med aprox: 65 cmx 35 cm)


Hola Queridos Amigos,
Les dejo aqui una breve reseña de la exposición.
Estas fotos de arriba son algunas de las 47 piezas expuestas,todas técnicas mistas : ( papeles, alambres, collage ,paños, tintas acrilicas, etc). la muestra , ¨Doña Vida¨,esta formada por series limitadas , firmadas y numeradas.
Gracias a todos los que estuvieron presentes ( estos en forma física y/o de corazón ) y Gracias a mis amigos invisibles que me ¨soplaron¨al oido algunas ideas...

¨Dona Vida¨
A figura da D. vida nasceu com vida própria, sozinha,quase autônoma, da necessidade de plantar, germinar, brotar e ser jardim... (Suspeito que ela já existe há muito tempo, e eu não tinha olhado antes para ela.)

Agora Fica na minha frente me olhando , e Eu só observo desde meu canto, e vejo que ela e eu temos muita coisa em comum.

Ela se apressentou:
-Sou espelho,as vezes , outras,reflexo.

Pouco a pouco se revela algo mais, e cada vez, descubro que pouco sei de mim e do que me rodeia.
Pergunto , (estou confusa ) ,-Quem é Vc.?
E Ela:
- Sou a mulher, a mae, a casa, o lar.

-Onde Vc. Mora?

- Sou a ¨casa-corpo¨ que habita em mim,em Vc., e em todas as mulheres ... Tenho tantas portas e tantas janelas!

(Ela tem flores, que nascem pela sua boca e brotam das suas mãos, e suas mãos querem ser flores, vive enraizada para poder se segurar firme, suportar os ventos que mexem e caracolam seus cabelos longos...)

Dona Vida me confessou depois de um dia de tormenta:
-¨Tal vez eu seja uma planta que um dia vai dar flores;
Talvez seja no futuro uma árvore , que dará frutos doces e dourados;
parou, olhou para mim e finalmente disse:
-...Ou , tal vez não seja nada disso ¨.